Fundo de investimento

Os fundos de investimento são um dos tipos de investimentos mais populares no Brasil por oferecerem um custo mais baixo e menor risco. Vamos entender o que são e como funcionam.

O que é um Fundo de Investimento?

Um fundo de investimento (FI) é uma cesta que contém o recurso de vários investidores. Esses investidores são chamados de cotistas. A distribuição das cotas é feita proporcionalmente ao dinheiro investido no fundo. Assim que os investidores que aportam mais, obtém maior participação no fundo.

Este tipo de investimento é altamente procurado por oferecer algumas vantagens em relação aos demais. Os investidores não precisam se preocupar com o gerenciamento do fundo já que o gestor do fundo é um profissional credenciado pela Comissão de Valores Mobiliários e sua principal função é buscar a maximização da rentabilidade para o fundo.

Ademais, é possível investir em vários tipos de ativos financeiros como ações, títulos de renda fixa, commodities, debêntures entre outros ativos. É importante haver diversificação na carteira do investidor pois “não devemos colocar todos os ovos na mesma cesta”. Quanto mais diversificada a carteira dos cotistas, menor é o risco. 

Essa facilidade de diversificação vem acompanhada de uma diminuição nos custos. Os fundos de investimentos trazem uma facilidade ao acesso de certos produtos financeiros. Por exemplo: comprar diretamente as ações do Ibovespa pode custar várias dezenas de milhares de reais, porém fazer parte de um FI que com exposição a estas ações costuma ser mais acessível do que comprá-las de maneira independente, pois os custos são fracionados entre todos os cotistas. 

Tipos de Fundos de Investimento

Cada fundo de investimento possui seu próprio regulamento. Nele estará descrito a classificação do fundo, quando poderá ser feita a aplicação e o resgate do recurso. Entre os tipos de investimentos conhecidos estão os: 

Abertos: 

Este é o tipo mais comum. A característica principal do FI aberto é a possibilidade de entrada e saída do investidor no fundo. Assim como também é possível o aumento do aporte do cotista e o fundo não possui prazo de duração.

Fechados: 

Diferentemente do fundo aberto, o FI fechado não permite a entrada e saída do cotista a qualquer tempo. O encerramento do fundo é previamente decidido no regulamento. Ademais, é estipulado um número limitado de cotas – as quais só podem ser negociadas após o tempo determinado. Também não é permitido o resgate de cotas por decisão dos cotistas.

Exclusivos e Restritos: 

É representado por um único cotista (exclusivo) ou por um grupo pequeno de cotistas (restritos). A vantagem deste tipo de fundo é a estruturação sob medida e o atendimento personalizado. O recurso aportado pelo(s) cotista(s) supera a casa dos milhões e os que optam por esta modalidade buscam gestão profissional e eficiência tributária.

Tributação dos FI’s

Os tributos são retirados da fonte e apesar do cotista não ter de se preocupar com o recolhimento da tributação, é importante saber quanto é cobrado nos fundos de investimento. São dois os tributos cobrados: Imposto sobre a Renda (IR) e o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF).

O Imposto sobre a Renda varia de acordo com o tipo de investimento:

Tipo de Ativo Prazo IR (%)
Ações Qualquer prazo 15%
Títulos de Longo Prazo Até 180 dias 22,5%
De 181 até 360 dias 20%
De 361 até 720 dias 17,5 %
Acima de 720 dias 15%
Títulos de Curto Prazo Até 180 dias 22,5%
Acima de 180 dias 20%

 Já o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) é cobrado em saques com menos de 30 dias de aplicação – exceto aplicações na poupança. É importante estar atento a este imposto pois o IOF pode zerar os ganhos da aplicação. Em alguns casos, o imposto é cobrado sobre a rentabilidade (IOF regressivo) e, em outros, a cobrança é fixa.

Os fundos de investimento podem ser uma boa alternativa pois são aplicações de fácil acesso e relativamente seguros, além de proporcionar diversificação de carteira.  É importante que o futuro investidor se informe sobre as características do fundo, o gestor, valor inicial, as taxas a serem cobradas e sobre o histórico do fundo para que as chances de bons resultados sejam maiores. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui