Mercado de ações brasileiro

A alocação de ativos é uma estratégia de investimento que visa equilibrar o risco e o retorno, alocando os ativos de uma carteira de acordo com os objetivos de um indivíduo, a tolerância ao risco e o horizonte de investimento. 

Os ativos de renda fixa e variável têm diferentes níveis de risco e retorno, de modo que cada um se comportará de maneira diferente ao longo do tempo.

Por que a alocação de ativos é importante

Não existe uma fórmula simples que possa encontrar a alocação correta de ativos para cada indivíduo. No entanto, o consenso entre a maioria dos profissionais financeiros é que a alocação de ativos é uma das decisões mais importantes que os investidores tomam. Em outras palavras, a seleção de títulos individuais é secundária à maneira como os ativos são alocados, sendo que estes serão os principais determinantes dos resultados de seus investimentos.

Os investidores podem usar diferentes alocações de ativos para diferentes objetivos. Alguém que está economizando para um carro novo no próximo ano, por exemplo, pode investir sua poupança em uma carteira conservadora como certificados de depósito bancário (CDB’s) e/ou outros títulos de curto prazo. Outra poupança individual para a aposentadoria, que pode estar a décadas de distância, normalmente investiria a maior parte de sua conta de aposentadoria individual em ações, já que ele tem muito tempo para superar as variações de curto prazo do mercado. A tolerância ao risco também é um fator importante. Alguém que não se sinta confortável em investir em ações, pode colocar seu dinheiro em uma alocação mais conservadora, apesar do longo horizonte de tempo.

Alocação de Ativos Baseados na Idade

Em geral, as ações são recomendadas para períodos de cinco anos ou mais. No passado, os consultores financeiros recomendavam subtrair 100 da idade de um investidor para determinar quanto deveria ser investido em ações. Por exemplo, para uma pessoa de 40 anos, era recomendado investir 60% em ações. Atualmente, variações dessa mesma regra recomendam subtrair à idade 110 ou 120, dado que a expectativa média de vida continua a crescer. À medida que os indivíduos se aproximam da idade de aposentadoria, os portfólios geralmente devem passar para uma alocação de ativos mais conservadora, a fim de ajudar a proteger os ativos que já foram acumulados.

Alcançando alocação de ativos através de fundos de ciclo de vida

Os fundos mútuos de alocação de ativos, também conhecidos como ciclo de vida – life cycle funds em inglês – são fundos orientados à aposentadoria, que ajustam investimentos em renda fixa e ações conforme a etapa de vida do investidor. São uma tentativa de fornecer aos investidores estruturas de carteira que abordam a idade do investidor, apetite ao risco e objetivos de investimento com um rateio apropriado de classes de ativos. 

Este tipo de fundo é bem posicionado no mercado mundial. No Brasil, as pessoas já começam a mirar investimentos de longo prazo, o que permite a expansão deste do fundo. 

Conclusão

A boa alocação de ativos financeiros é atividade crucial e imprescindível para se investir com qualidade. É de suma importância que o investidor se atente a vários fatores na hora de considerar a alocação, como a tolerância ao risco, objetivos, idade e perfil do investidor. A alocação de ativos é, portanto, uma atividade complexa que não pode ser negligenciada. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui